Família Hylidae

Boana goiana

(Lutz, 1968)

Perereca-de-pijama

Endêmico do Cerrado Comum
Mata Ciliar
Mata de Galeria
Ocorrência
Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez

Boana goiana

(Lutz, 1968)

Perereca-de-pijama

Endêmico do Cerrado Comum

Boana goiana

(Lutz, 1968)

Perereca-de-pijama

Endêmico do Cerrado Comum
Mata Ciliar
Mata de Galeria
Ocorrência
Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez

Esta é uma espécie de perereca arborícola de porte médio. Seu nome popular se deve à suas listras amarronzadas que possui no dorso, lembrando um pijama. Esse animal tem uma ampla distribuição no Brasil Central e suas populações vêm decaindo ao longo do tempo devido à expansão das fronteiras agrícolas, hidrelétricas e exploração madeireira. É uma espécie que não se adapta bem em ambientes antropizados. É encontrada em bordas de matas, em matas secundárias, mas principalmente em riachos de matas de galeria, onde ela também se reproduz e tem uma reprodução contínua, ou seja, ao longo do ano inteiro. Na época reprodutiva, os machos cantam a noite toda em árvores baixas e arbustos situadas de 0,11 a 1,1 metros de altura. Os machos são muito territorialistas e é bem comum encontrar cicatrizes em seu dorso, resultado de interações intrasexuais.

Diagnose

Caracterizada pelo padrão de cor dorsal composta por quatro faixas largas de cor creme intercaladas por faixas estreitas de cor marrom, dispostas longitudinalmente. As faixas claras se unem a frente dos olhos e, em seguida, se juntam na frente do focinho. Uma faixa de coloração branca contorna a maxila superior, passa sob o olho e tímpano e se estende até a inserção da coxa. Margem externa da tíbia e coxa com o padrão listrado longitudinal. Ventre de coloração branca. Discos adesivos grandes e membrana interdigital presente.

Anfíbios dos Veadeiros

  • Anfíbios dos Veadeiros

Um projeto batráquio!