Família Bufonidae

Rhinella diptycha

(Cope, 1862)

Sapo-cururu

Muito comum
Mata Ciliar
Mata de Galeria
Cerradão
Cerrado
Campos
Veredas
Áreas Antrópicas
Ocorrência
Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez

Rhinella diptycha

(Cope, 1862)

Sapo-cururu

Muito comum

Rhinella diptycha

(Cope, 1862)

Sapo-cururu

Muito comum
Mata Ciliar
Mata de Galeria
Cerradão
Cerrado
Campos
Veredas
Áreas Antrópicas
Ocorrência
Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez

Esse é o famoso sapo cururu! Essa espécie pode chegar à grandes tamanhos, e pode ser prontamente identificada por apresentar enormes glândulas paratóides e tibiais e o corpo coberto por tubérculos. Esse sapo pode ser encontrado em áreas abertas perto de um corpo d’água ou até mesmo onde não tenha água por perto. É considerada uma das espécies que mais usa ambiente antropizado, sendo facilmente encontrado perto de casas e fazendas e tem uma ampla distribuição pelas áreas abertas do Mata Atlântica, Cerrado e Chaco.

Diagnose

Possui grandes glândulas paratóides e grandes glândulas tibiais

Você sabia?


Quando chega a época de reprodução, os machos cantam nas margens de um corpo d’água onde os ovos são depositados em forma de cordão gelatinoso. Quando os ovos eclodem, os girinos saem e continuam em grupo, formando um enorme aglomerado de girinos. Eles tem um formato oval, um pouco achatado e são pretos, e como são muitos deixam a água escurecida.

Referências bibliográficas

https://drive.google.com/drive/folders/0B0M5IL0AEOXic2ZuMTBiYjBHODg

Lavilla EO, Brusquetti F. On the identity of Bufo diptychus Cope, 1862 (Anura: Bufonidae). Zootaxa. 2018 Jun;4442(1):161-70.

Anfíbios dos Veadeiros

  • Anfíbios dos Veadeiros

Um projeto batráquio!